Você tem medo de mudanças?

No mundo em que vivemos, adaptar-se é preciso e, para alguns, não ter essa habilidade pode ser um grande motivo de sofrimento e desgaste emocional, afinal – “tudo muda o tempo todo no mundo”.
Embora já saibamos disso, não podemos dizer que estamos preparados para todos os tipos de mudanças com as quais nos deparamos diariamente.

Alguns consideram-se mais rígidos, pois valorizam a rotina e o “mais do mesmo”, enquanto outros afirmam gostar do novo e de tudo que ele possa proporcionar, demonstrando, assim, maior abertura para se adaptar às mudanças.

Os cenários com os quais esses dois tipos básicos de perfis se deparam são os mesmos, já que no trabalho, nos estudos, na tecnologia e em praticamente tudo a que temos acesso, as modificações acontecem com uma rapidez assustadora.

A grande questão é que aqueles mais resistentes às atualizações, digamos assim, enfrentam muitas dificuldades e, em determinados momentos, acabam entrando em algum nível de estresse e sofrimento, já que se apegam àquilo em que acreditam e lutam de todas as formas para manterem a rotina, a estabilidade e a segurança.

Acontece que nos dias de hoje, com raríssimas exceções, não podemos nos enganar, achando que estamos protegidos e seguros em função de uma situação que amanhã pode não mais existir.

Mas, diante disso, qual a opção a ser seguida?

Acredito que se conhecer e observar-se é sempre um importante termômetro, afinal como saberemos quais serão as melhores opções para as nossas vidas se não soubermos de fato aquilo de que gostamos, desejamos e valorizamos? A mudança precisa fazer sentido para a adaptação fluir bem!

Diante disso, permitir-se ser vulnerável pode ser algo extremamente enriquecedor e, consequentemente, construtivo para a sua vida. Para isso, é preciso encarar as adversidades e as instabilidades de modo criativo e estar aberto para o que possa surgir, pensando nas chances de aprendizados e crescimentos que se adaptar a algo novo lhe proporcionará.

Não podemos nos esquecer de que não controlamos tudo, e que a única forma que temos de enfrentar as mudanças e adaptar-nos da melhor maneira é olhando para DENTRO, para tudo o que sentimos.

E você, me conta, tem medo de mudanças?

Psicóloga Amanda Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *