Você quer emagrecer ou ser emagrecido?

Quantas vezes você já pensou em fazer dieta? Quantas vezes já começou? Quantas vezes você cumpriu todas as etapas do processo de emagrecimento? Por fim, a pergunta mais importante: você conseguiu manter o peso sem grandes oscilações por quanto tempo ou até hoje?

Os alimentos tem a função de nutrir, dar energia e saciar a fome. Todavia, a maioria das pessoas comem por estímulos sejam eles: ambientais (visão e cheiro da comida), biológicos (fome, sede ou gula), mentais (pensar sobre comida, receitas) e emocionais (frustração, raiva, felicidade,insegurança) e os sociais (festas,férias…). Identificar os estímulos gera consciência e contribui para você diferenciar se está comendo por fome, sede ou por desejo.

Além de seguir a dieta prescrita pelo nutricionista você deve constatar e trabalhar quais são seus pensamentos autossabotadores referente à comida e ao comer. Esse é um dos motivos pelo qual você já deve ter tentado muitas dietas, percorrido muitos profissionais e acaba vivendo essa oscilação entre dieta – reeducação alimentar, efeito sanfona e insatisfação com seu corpo.

Ao contrário do que muitos acreditam, comer é um ato voluntário – (in)conscientemente escolhemos o que comer. Você nunca escolhe comer, por exemplo, um guardanapo ou talher, certo? Trabalhar o pensamento disfuncional, entende-lo, e torna-lo funcional, te ajudará a escolher os melhores alimentos e a forma como você irá se alimentar.

Os pensamentos autossabotadores na maioria das vezes influenciam você a comer. Geralmente você justifica o que vai comer e atribui a algum acontecimento do dia, da semana ou do mês, acontece isso com você? Quando você age por impulso e come aquilo que não estava previsto ou em excesso é como se você minasse sua autoconfiança. Após o ato, possivelmente você se menospreza e acaba desconfiando do seu potencial e da sua capacidade de dar limites e dizer não para aquilo que tem vontade. Afinal, em nenhuma área da vida, podemos fazer tudo aquilo que temos vontade. O limite é uma forma de cuidado e amor próprio.

Outro dado importante é que toda restrição gera compulsão. Isso já deve ter acontecido com você nas vezes em que restringiu alimentos, se identifica? O sucesso da alimentação é ter equilíbrio e busca-lo principalmente uma relação harmoniosa entre o seu corpo e a comida.

Toda dieta deve ser acompanhada por um nutricionista, em alguns casos endocrinologista, cardiologista, clinico geral e etc. Cada organismo requer um tipo de dieta e/ou reeducação alimentar. Essa analise que deve ser feita por esses profissionais. Caso você não consiga manter a sua dieta busque ajuda psicológica, em alguns casos psiquiatras também entram no processo – principalmente nos casos de transtorno alimentar.

Comer pode até ser uma distração, mas não resolverá seus problemas. Para os vazios que você sente nenhuma comida saciará a sua alma.

Fazer uma dieta requer organização, planejamento, muita dedicação, novos habitos e investimento. Afinal existe uma diferença entre emagrecer e ser emagrecido. Faça por você e pela sua saúde. Lembre-se, ninguém vive de dieta, busque ter uma alimentação equilibrada – nem 8 nem 80.
Excelente reflexão!
Até a próxima, um beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *